É um dos principais tipos de revestimentos asfálticos, utilizados nas vias urbanas e rodovias do Brasil.

A pavimentação asfáltica em CBUQ são estruturas compostas por múltiplas camadas de revestimento asfaltico, sendo a camada responsável por receber e transmitir a carga dos veículos, além de servir de proteção contra o intemperismo.

Asfaltos Brasilia Asfaltos DF

Asfalto CBUQ:

É um tipo de massa asfáltica usinada a quente, apropriada para os serviços de execução de novas pavimentações asfálticas ou recapeamento de em pavimentos antigos.

É aconselhado para pavimento em rodovias ou ruas de tráfego mais intenso, graças ao seu alto desempenho em resistir esforços, ótimo para ser utilizado em estacionamentos, por ser uma pavimentação resistente.

A pavimentação com asfalto a quente é ideal para pátios, estacionamentos, ruas e alamedas de sítios, chácaras e condomínios, além de galpões e demais áreas para tráfego de veículos leves e pesados.

O asfalto CBUQ pode ser aplicado em qualquer superficie devidamente compactada, sendo assim não tem contra indicação de onde utilizar.

Qual a composição do CBUQ?

O CBUQ é normalmente composto por um agregado miúdo (areia), agregado graúdo (brita) e um ligante (CAP - Cimento Asfáltico de Petróleo), obtido da destilação fracionada do petróleo. A mistura dos agregados com o ligante é realizada a quente em uma usina de asfalto e transportada até o local de sua aplicação por caminhões especialmente equipados onde é lançado por equipamento adequado chamado de vibroacabadora. Após seu lançamento a mistura é compactada por rolos compactadores até atingir a densidade especificada em projeto.

O material de revestimento pode ser fabricado em usina específica (misturas usinadas), fixa ou móvel. Os revestimentos são também identificados quanto ao tipo de ligante: a quente com o uso de CAP, ou a frio com o uso de EAP. As misturas usinadas podem ser separadas quanto à distribuição granulométrica em: densas, abertas, contínuas e descontínuas.

A mistura de agregados e ligante é realizada em usina estacionária e transportada posteriormente por caminhão para a pista, onde é lançada por equipamento apropriado, denominado vibroacabadora. Em seguida é compactada, até atingir um grau de compressão tal que resulte num arranjo estrutural estável e resistente, tanto às deformações permanentes quanto às deformações elásticas repetidas da passagem do tráfego.